Escolha uma Página

Volta e meia o mundo passa por um acontecimento que tem efeitos em escala global, sendo comum que aconteça um ponto de inflexão, onde novos hábitos surgem e alguns outros deixam de existir (ou mudam bastante). Quando esse acontecimento é uma pandemia capaz de afetar a economia global, não só mudam tais hábitos como surgem oportunidades e ameaças para os negócios.

Semana passada nós mostramos três vantagens de possuir uma loja online e como isso pode ajudar negócios durante (e após) a quarentena, mas agora vamos analisar as oportunidades atuais para quem pretende aderir ao modelo e-commerce de fazer negócios.

 

SARS – A epidemia que parou a China há 18 anos

A Síndrome Aguda Respiratória Grave (SARS em inglês) foi uma epidemia também causada por um tipo de coronavírus que, entre 2002 e 2003, espalhou-se pela China. Assim como na crise atual, foi imposto aos chineses o isolamento social e o fechamento do comércio para o controle da doença. Um cenário que soa bem familiar, não é mesmo?

O empreendedor antenado, nesse momento, deve buscar aprender com o passado e articular o futuro, então trouxemos para você algumas informações que com certeza irão lhe ajudar a tomar boas decisões para seus negócios.

 

Alibaba – Um exemplo a ser seguido

As medidas de combate ao SARS isolaram o povo chinês, numa época onde o comércio online era muito menos fortalecido se comparado a hoje. Foi justamente nesse cenário que o mundo presenciou o rápido crescimento da Alibaba, que rapidamente ultrapassou o eBay (plataforma líder em comércio online na época). No regime home office, os funcionários da empresa desenvolveram o Taobao, um site de vendas online que supriu uma demanda do povo chinês, que desejava fazer suas compras mesmo durante a quarentena. Hoje a Alibaba é avaliada em 573 bilhões de dólares.

O exemplo da empresa chinesa nos mostra que apesar da crise, é preciso enxergar a oportunidade. Quem toma iniciativa, sai na frente.

Pão de Açúcar – Pioneirismo no e-commerce brasileiro

A rede de supermercados Pão de Açúcar já investe em e-commerce desde 1995, quando a internet ainda era mato e quase ninguém tinha acesso. Se antes o cliente entregava sua lista de compras em um disquete na loja e recebia as compras em casa, hoje em dia sobram recursos e funções como a entrega rápida. Ao longo de 2019, as vendas da loja online cresceram 40%. Segundo a Ebit/Nielsen, supermercados online observaram um crescimento no número de novos consumidores de 96%  entre os dias 19 e 25 de março.

Observar as tendências e surfar a onda pode ser o diferencial para o seu negócio prosperar durante a pandemia em que vivemos. Foi isso que fez Frederico Trajano, presidente da Magazine Luiza. Apesar da varejista online ser reconhecida pelo comércio de eletrônicos e eletrodomésticos, tornou-se prioridade a entrada na categoria de itens de supermercado online.

O boom do comércio online

Segundo Pedro Coutinho, presidente da Abecs, enquanto o varejo físico caiu 50% durante a quarentena, as compras online pagas com cartão de crédito/débito cresceram cerca de 30%. Se seu negócio está com as portas fechadas, não precisa começar a arrancar os cabelos, é melhor investir em presença online! A varejista de moda Riachuelo, por exemplo, está vivendo um aumento de 124% no comércio online e de 56% no tráfego do seu site, mesmo com todas as suas lojas físicas fechadas.

A lição que fica é: não adianta se desesperar sem um plano de ação. Onde uns enxergam um copo meio vazio, outros enxergam o copo meio cheio. Aproveite nossas condições especiais e crie sua loja online em apenas 2 dias, não espere o boom do comércio online passar, construa o futuro do seu negócio agora mesmo!

Open chat
Podemos te ajudar?